quinta-feira, 21 de julho de 2016

Meu cabelo não é ruim!


Pois é, meu cabelo sempre foi cacheado, mas me ensinaram, ainda quando criança, que minhas madeixas tinham outro nome: cabelo ruim. E quem quer carregar algo tão negativo, não é? Foi por conta desse tipo de coisa que eu decidi alisar meu cabelo por 11 anos. Hoje, já crescida e amadurecida em alguns aspectos, peço a vocês que parem de dizer que fios encaracolados e frisados são ruins.


Eu acho que o motivo é óbvio, mas para os que precisam de explicação: essa hierarquização capilar precisa parar. Não é questão de ser bom ou ruim, mas de ser diferente. E diferença, definitivamente não é algo negativo. Já pensou se fôssemos todos iguais fisicamente e na forma de pensar? O mundo seria um saco!

Dizer que o cabelo de uma pessoa é ruim, principalmente quando criança, é muito cruel. Isso mexe com a autoestima de maneira que, ao ser negada pelas pessoas, ela passa a não querer mais manter o cabelo natural, além de ser excluídas de várias situações por sentir que não se encaixa naquilo que é considerado bonito.

Eu não sou psicóloga e nem especialista no assunto, mas falo isso baseada em minha própria experiência e pelo que me falam. Por muitos anos eu reproduzi o discurso de que tenho o cabelo ruim e culpava os meus pais por isso. "Já que nasci assim, tenho que fazer alguma coisa pra deixar meu cabelo mais arrumado", eu pensava.

A própria mídia nos estimula a pensar dessa forma. As mulheres que vemos na TV, em sua maioria, são brancas, altas, magras e de cabelos lisos - um padrão que contempla uma pequena parcela das mulheres. E embora isso tenha mudado graças aos grupos de resistência que lutam contra essa imposição estética, ainda é muito pouco.

Se desprender dessas amarras e se sentir linda sem ligar para o que os outros falam é maravilhoso. Mas seria melhor se nossas meninas já crescessem empoderadas e não precisassem alisar seus fios por uma imposição sem sentido. Até porque dói, machuca demais se sentir por fora porque algo que nasceu com você é julgado pelas pessoas como ruim.

Cabelo não faz mal pra ninguém pra ser considerado ruim. Isso não tem cabimento e nem justificativa. Essa é uma herança histórica racista que carregamos na nossa sociedade e precisamos parar com isso já. Pelo bem de todas que precisaram passar por anos de alisamentos e progressivas (que, muitas vezes, maltratam as madeixas, causando até feridas e queda em excesso) e pelo bem da sociedade em geral, para que possamos melhorar como pessoas, sabe?

Fico muito feliz de ver que muitas mães ajudam suas filhas cacheadas e crespas a cuidarem de seus cachinhos desde pequenas e saberem que seus cabelos são lindos sim. Eu demorei 11 anos pra entender isso, mas ainda bem que entendi! Porque me livrar dessa ditadura lisa fez eu me redescobrir e ser uma pessoa melhor para os outros também.

Por isso, repense. Vamos respeitar as diferenças e as pessoas. Cabelos crespos e cacheados são tão lindos e "bons" quantos cabelos ondulados e lisos. Meu cabelo não é ruim, o seu também não (confia no que tô te falando). Isso não existe. Vamos acabar com essa falácia e cultivar um mundo cheio de madeixas maravilhosas, independente delas crescerem pra baixo ou pra cima, com fios lisos, enrolados ou frisados. Vamos cultivar um mundo com pessoas mais feliz e menos preconceituosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário